As provas de redação sempre causam um certo medo nas pessoas. Algumas dizem que sabem falar, mas não sabem escrever. O certo é que devemos estar sempre preparados para esta que pode estar presente em um concurso, seleção para emprego ou vestibular.

Confira as dicas:

1. Leia com atenção o tema proposto. Não corra o risco de receber uma nota baixa por ter se afastado do tema.

2. Planejar ajuda a desenvolver o raciocínio. Defina sua idéia central, seu objetivo, estabeleça uma linha de argumentação e uma conclusão.

3. Evite usar letra de forma, que dificulta a distinção entre maiúsculas e minúsculas. Uma boa grafia – legível e sem floreios – e limpeza são fundamentais. Não se esqueça dos pingos nos “i”: não vale usar bolinhas no lugar deles.

4. Não comece com períodos longos, exponha logo suas idéias. Não use expressões como “eu acho”, “eu penso” ou “quem sabe”, que mostram dúvidas em seus argumentos.

5. Seja claro: evite usar palavras difíceis que possam prejudicar a compreensão de seu texto. Tenha em mente que sua redação deve se destacar pela unidade, clareza, coerência e concisão.

6. Seja simples: não use palavras de cuja grafia você não tenha certeza. Em dissertações, não use gírias – elas não fazem parte da norma culta da Língua Portuguesa.

Não há fórmulas mágicas para se fazer uma boa redação. O exercício contínuo, aliado à prática da leitura de bons autores, e a reflexão são indispensáveis para a criação de textos. O vestibular não pretende formar escritores, como também o professor não dispões de uma “varinha mágica” que lhe permita transformar o aluno em um escritor consagrado. Mesmo assim é possível apontar alguns caminhos que ajudam na hora de produzir um bom texto:

Qualidades do texto

- Concisão: (não fazer arrodeios) Ser conciso significa que não se deve abusar das palavras para exprimir uma idéia. Deve-se ir direto ao assunto, não ficar enrolando, “enchendo a lingüíça”. Eliminar tudo aquilo que não é necessário.

- Correção: ( linguagem culta) A linguagem utilizada na redação deve estar de acordo com a norma culta, ou seja, deve obedecer aos princípios estabelecidos pela gramática. Conhecer as normas que regem o uso da língua é de fundamental importância para a produção de um texto correto. Evidentemente, a maioria das pessoas não conhece todas as regras gramaticais. Por isso, não hesite em consultar um livro de gramática. Tome cuidado com: A grafia, flexão das palavras, concordância, regência e colocação de pronomes.

- Clareza: (Não confundir o leitor) A clareza consiste na expressão da idéia de forma que possa ser rapidamente compreendida pelo leitor. Ser claro é ser coerente, não contradizer-se e não confundir o leitor.

- Elegância: (letra legível, sem borrões e organizadas) A elegância consiste em uma leitura de texto agradável. É alcançada quando se observam as qualidades que foram apontadas anteriormente e também pelo conteúdo da redação, que deve ser original e criativa. A elegância deve começar pela própria apresentação do texto. A redação deve ser entrega limpa, sem borrões ou rasuras e com lera legível.

Defeitos do texto

- Ambigüidade: Ocorre ambigüidade quando a frase apresenta mais que um sentido, geralmente por má pontuação ou mau emprego das palavras ou expressões. É considerada um defeito da prosa, porque atenta contra a clareza.

- Obscuridade: É o mesmo que falta de clareza. Vários motivos determinam a obscuridade, como: períodos excessivamente longos, linguagem rebuscada ou má pontuação.

- Pleonasmo: Consiste na repetição desnecessária de um termo: “A brisa matinal da manhã enchia o dia de alegria”.

- Cacofonia: Acontece quando existe produção de sons desagradáveis pela união de sílabas de palavras: ” Nunca gaste dinheiro com bobagens”

- Eco: Repetição de palavras terminadas pelo mesmo som: “A decisão causou comoção na população”

- Prolixidade: (“encher lingüiça”) É a utilização de mais palavras que o necessário, ou seja, “encher lingüiça”.

exemplos:

1) “A escrita não só traz à realidade o sentimento de um homem, como o faz comunicar com outros, indeterminados, fixando seu pensamento e sua vontade. Ela é o elo de comunicação entre povos contemporrâneos, e ajudando a compreender o passado, marcando o presente para o futuro. Contudo, a escrita veio com a finalidade e necessidade do homem de fixar sua realidade, podendo ser até uma realidade subjetiva, uma realidade íntima, ou muitas das vezes, como uma realidade inventada.”

2) ” A escrita tem sido um legado valioso na descoberta da história da humanidade. Por seu intermédio, pesquisadores podem analisar e entender, com um grau maior de confiabilidade, fatos passados. Tem ela também, a qualidade lúdica do entretenimento, a qualidade do agente estimulante das emoções, do raciocínio, da lógica.”

O texto 1 é o típico exemplo de texto mau estruturado, não diz nada. Cheio de palavras mas com idéia confusa, o conotrário do texto 2, que possui uma introdução consistente e que vai direto ao ponto.

Fonte: Tutomania